segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Morte à Cultura sobralense




Mais uma vez, pelo segundo ano consecutivo, as escolas de samba de Sobral não desfilarão na Passarela Marinho Pereira, isto porque a Prefeitura não, segundo seus representantes, "não dispõe de recursos". A falta de recursos alegada pela atual gestão, é a senha para adentrar ao universo de decadência criado em torno desse governo filhote do PT, que é tal qual aos que estão desconstruindo o Brasil em todos os seus recantos.

Nos barracões das escolas sem samba, a palavra de ordem é a mesma do ano passado: "guardai os vossos pandeiros, guardai! Porque a nossa escola de sambe não sai".  A promessa da gestão de que este ano seria de fertilidade para o samba, também bateu catolé, igualmente às foram feitas em outros segmentos onde nada mais acontece.

É visível e sentida a dilapidação da cultura local, que já teve salões, prêmios literários, estímulo à produção artística e intelectual, sucessivas exposições, um museu de arte moderna internacional, reconstruções e recuperações de prédios históricos e muitas outras atividades. O que antes era atenção, agora é descaso, descompromisso e descompasso com o progresso.

O prefeito Veveu Arruda será, ao final de sua gestão, reconhecido como o "exterminador do presente e do futuro" das coisas boas desta terra, simplesmente porque é sem propósito, desleixado e irresponsável com a própria história, ele que fora secretário de cultura do Município, sendo reconhecido por suas ideias revolucionárias e atitudes modernas em favor do resgate e da propagação de nossas artes, mas esqueceu de tudo.

Sem a presença das escolas de samba na passarela o carnaval de Sobral não terá sentindo algum. Mais uma vez a população abandonará a cidade e se refugiará em cidades vizinhas, lamentando a falta de sensibilidade da gestão petista que nos descompõe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.