quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Comissão da Câmara fiscalizará fim das refinarias no Nordeste




O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (11) a criação de uma comissão externa para acompanhar e fiscalizar os fatos relativos ao cancelamento da construção das refinarias da Petrobras Premium I e Premium II, localizadas nos estados do Maranhão e do Ceará.
O pedido para que o Legislativo apure o processo de interrupção dos projetos é de autoria dos deputados Eliziane Gama (PPS-MA) e Raimundo Gomes de Matos (PSDB-CE). Eles argumentam que o anúncio das obras pela Petrobras, em 2010, atraiu investimentos dos empreendedores para a região e querem avaliar as consequências ambientais, sociais e financeiras da suspensão das obras.
O grupo, a partir de agora, pode, entre outras medidas, realizar diligências externas, audiências públicas e requerer informações a autoridades envolvidas no caso. Até o fim desta semana, deverão ser divulgados os nomes dos integrantes desta comissão externa.
Explicações da Petrobras
A Petrobras comunicou o encerramento das obras para erguer o empreendimento no balanço do terceiro trimestre de 2014, divulgado no fim de janeiro. A justificativa é que os empreendimentos não demonstraram atratividade e que o crescimento do mercado interno e externo poderá ser atendido pelo aumento do Programa de Maximização de Médios e Gasolina.
Além disso, a companhia alegou não haver parceiro econômico para a implantação. O encerramento dos dois projetos gerou perda de cerca de R$2,7 bilhões para a estatal, de acordo com balanço.
“Para nós, integrantes das bancadas do Maranhão e do Ceará, é incompreensível que empreendimentos que durante o governo Lula eram tratados como projetos estratégicos, tanto assim que foram colocados no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), já tendo consumido R$ 2,7 bilhões da Petrobras, venham agora ser considerados inviáveis economicamente”, afirmam os autores do pedido.
Os parlamentares do PPS e do PSDB acrescentam que o cancelamento dos projetos das refinarias causará prejuízos significativos à economia da região.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.