sexta-feira, 18 de julho de 2014

Junho: CE tem pior saldo de empregos em 19 anos

Influenciado sobretudo pelo cancelamento de vagas na indústria da transformação, na construção civil e no comércio, o saldo de geração de empregos entre os meses de maio e junho, no Ceará, foi negativo pela primeira vez em 19 anos. Com 100 postos de trabalho perdidos no período, o Estado apresentou retração de 0,01% no total de empregos celetistas (com carteira assinada), segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado ontem pelo Ministério do Trabalho e Emprego.
De acordo com os dados do Caged, o saldo cearense de 100 vagas perdidas foi o 19º pior no ranking nacional. O último resultado negativo do Estado havia sido registrado em 1995, quando 235 postos de trabalho foram cancelados entre maio e junho.
A indústria de transformação do Ceará foi responsável pelo fechamento de 759 vagas em junho deste ano, frente ao mês imediatamente anterior. Já a construção civil e o comércio desativaram, respectivamente, 457 e 373 postos de trabalho. A agricultura, por sua vez, teve saldo de 739 novas contratações, sendo seguida pelo setor de serviços, com 634 novas oportunidades geradas no período.
Conforme o coordenador de Estudos e Estatísticas do Instituto de Desenvolvimento Industrial do Ceará (Indi), Pedro Jorge Viana, a redução do número de empregados na indústria reflete a situação atual do setor, que enfrenta as incertezas ligadas ao futuro da economia brasileira. "É natural que a indústria tente diminuir os seus custos. Não é o que nós desejávamos, mas a conjuntura econômica do País está determinando esse comportamento", aponta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.