quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Espaço público só adianta se for seguro


Escuto do novo prefeito de Sobral a informação de que a estação ferroviária, prédio centenário, com cerca de 130 anos ou mais, poderá ser aproveitado dentro de um projeto de revitalização, que engloba em conexão o monumento do Cristo Redendor, que seriam ligados por uma passarela.

Depois do anúncio vi aplausos, sinais e mais sinais de positividade. É claro que se trata de um projeto com positividades, todavia, se não tiver segurança na área, de nada servirá. Será só mais um ponto abandonado pelos sobralenses que morrem de medo da bandidagem. Se o prefeito pretende levar avante tal projeto, primeiro ele tem que ter garantida a segurança do local, caso contrário ele estará somente abrindo mais um ponto de alojamento de criminosos e viciados.

Certamente que o prefeito irá demonstrar preocupação quanto a esse aspecto, ofertar uma semana de segurança, e depois abandona tudo e deixa o povo a mercê dos meliantes. É lógico que ação de reparação deverá ser do próprio município, a começar pela ampliação de sua guarda, que deveria ter ao menos 500 homens, cavalos, canil, viaturas modernas e avançado sistema de comunicação. Guardinha com um pedacinho de pau na mão não resolve a parada.

Aliás, toda a problemática da insegurança se dá por incompetência de gestão. O finado mandato do Veveu enterrou tudo o que Sobral ainda tinha de valor, e nesse bojo foi-se, também, a guarda.

Senhor prefeito perdoe-me a ignorância, a inconsequência e a realidade, mas se é para fazer um novo ponto de trabalho para a malandragem, um lugar inóspito, sem segurança e sem serventia para o povo, é melhor deixar como está. Se vai realizar e não vai respeitar, é melhor deixar quieto, pois fazer da forma errada é o mesmo que fazer cocô e não se limpar. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.