domingo, 28 de fevereiro de 2016

Além da queda o coice



O senador Tasso Jereissati (PSDB) repudiou, em pronunciamento, na semana passada, a decisão da Petrobras de desativar sondas terrestres e marítimas no Ceará, afetando diretamente a exploração e produção de petróleo no Estado.

Durante a discussão, em plenário, do Projeto de Lei do Senado nº 131, de 2015, que revoga a obrigação da Petrobras em participar com pelo menos 30% na exploração do pré-sal, como prevê a lei atual, mas que mantém a preferência da estatal nas operações, Tasso demonstrou sua preocupação com a informação, publicada na edição de hoje do jornal O P OVO, ressaltando que essa decisão integraria o corte de R$ 32 bilhões do Plano de Negócios da empresa no período de 2015-2019.

Ao lamentar as dificuldades financeiras enfrentadas pela estatal, Tasso previu as consequências para os estados atingidos com as desativações, gerando desemprego em larga escala: “É inadmissível essa medida, pois um corte como esse afetará nossa Região, em particular o Ceará, e causará milhares de demissões”, disse. Com a desativação das sondas, também, serão afetados os fornecedores e haverá redução da arrecadação de royalties pelos municípios atualmente beneficiados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.