sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Exclusivo: Foguete da FAB explode em lançamento da base de Alcântara no Maranhão



O foguete VS-40M V03 suborbital da Força Aérea Brasileira explodiu agora há pouco, ao ser lançado no Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão. Ontem tinha sido feita com sucesso uma simulação de lançamento do foguete.

Não há informações de feridos. O lançamento do VS-40M era para testes em voo suborbital. Ele carregava o Sara (Satélite de Reentrada Atmosférica), uma plataforma de experimentos no espaço, destinada ao desenvolvimento de produtos na área de engenharia, eletrônica, sistemas embarcados, entre outras.

O Sara era a chamada carga-útil do foguete VS-40M V03. Essa plataforma tinha um componente do Sisnav (Sistema de Navegação), denominado Sismi (Sistema de Medição Inercial). Também deveria embarcar no veículo um GPS de aplicação espacial, em fase de qualificação, desenvolvido pela UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte), em cooperação com o IAE (Instituto de Aeronáutica e Espaço) e apoio da AEB (Agência Espacial Brasileira).

Todos os subsistemas do VS-40M V03 Sara poderiam ser empregados em outros veículos lançados pelo IAE.

Estava previsto que a plataforma Sara, após aterrissar em área marítima restrita à operação, seria recuperada por helicópteros da FAB (Força Aérea Brasileira). 

Outras tragédias
No dia 22 de agosto de 2003, uma tragédia no mesmo Centro de Lançamentos de Alcântara matou 21 profissionais civis, entre técnicos e engenheiros, com a explosão do foguete VLS (Veículo Lançador de Satélites). O foguete tinha 21 metros de altura e colocaria em órbita dois satélites de observação terrestre.

Em fevereiro de 2004, o relatório final da investigação do caso apontou que houve acionamento “intempestivo”, três dias antes do previsto, de um dos quatro motores do VLS. Na ocasião, foi levantado a possibilidade de uma sabotagem estrangeira, as investigações, que contaram com auxílio de especialistas russos, foram inconclusas sobre as causas, mas descartou sabotagem. 

Entre as hipóteses para o acionamento, ficaram as possibilidades de corrente elétrica ou transferência de energia por contato entre dois corpos. O primeiro protótipo do VLS (V01) foi lançado em dezembro de 1997 e o segundo (V02), em dezembro de 1999 – mas ambos falharam e foram destruídos na partida.

Na época, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva tinha poucos mais de 7 meses na presidência e acompanhou o enterro das 21 vítimas, que foram enterradas com honras militares e receberam indenizações de R$ 100 mil do Ministério da Defesa e pensões mensais.

Nota da FAB
Depois da publicação da matéria, às 18h20, soltou a seguinte nota: “Durante a operação de lançamento do Satélite de Reentrada Atmosférica (SARA), às 14h20 local desta sexta-feira (13/11), no Centro de Lançamento de Alcântara, localizado no Maranhão, houve uma falha do motor do veículo VS-40M no momento da ignição que causou a sua perda. O veículo encontrava-se na rampa de lançamento e não chegou a decolar. Todos os procedimentos de segurança foram adotados e não houve riscos à nenhum dos profissionais envolvidos. Uma comissão será designada para apurar as causas do incidente”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.