sábado, 13 de junho de 2015

Censuraram seu Waldir








Nos anos 1970, música foi censurada por cantar o amor entre dois homens

Nos anos 1970, a simples desconfiança de que uma música fazia “apologia à homossexualidade” foi o suficiente para retirar do mercado – via censura oficial – o disco de uma jovem e promissora banda pernambucana de rock. O caso aconteceu com o sexteto Ave Sangria. Em 1974, o grupo lançou seu primeiro LP, que continha entre as faixas a canção Seu Waldir. 

Na letra, o vocalista Marco Polo canta “Seu Waldir, o senhor magoou meu coração” e relata a história de um amor não correspondido. “Sei que o senhor está gamadão em mim. Eu quero ser o seu brinquedo favorito. Seu apito, sua camisa de cetim”. 

Não é raro compositores interpretarem papéis do outro sexo em suas composições. Chico Buarque, por exemplo, é conhecido por entender a alma feminina justamente por algumas de suas canções serem cantadas do ponto de vista de uma mulher.

Seu Waldir não teve a mesma sorte. Em entrevista ao jornalista pernambucano José Teles, autor do livro "Do frevo ao manguebeat", Marco Polo contou a história da música. “Eu fiz Seu Waldir no Rio, antes de entrar na banda. Ela foi encomendada por Marília Pera para a trilha da peça "A vida escrachada de Baby Stomponato", de Bráulio Pedroso, que acabou não aproveitando a música”. Como Seu Waldir fez relativo sucesso no rádio naquele ano, acabou chamando a atenção. E muita gente não gostou do que ouviu.

O Departamento de Censura da Polícia Federal não acreditou na explicação de Marco Polo, o LP foi proibido e os exemplares que ainda não tinham sido vendidos foram recolhidos das lojas. O LP do Ave Sangria foi relançado sem Seu Waldir. Em 1981, Ney Matogrosso relançou a música como lado B do compacto simples "Folia no matagal".

Fonte:

Portal Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.