terça-feira, 7 de março de 2017

A pedra do sapato de Ivo Gomes




"Sobre minha passagem pelo governo municipal de Sobral/CE e minha mudança de perspectiva sobre Ciro Gomes e irmãos (vale a pena todos lerem)
Estou há 2 semanas pensando em como escrever textos interessantes sobre essa passagem, que ajudem as pessoas a entenderem melhor o cenário político brasileiro, mas ainda não achei a forma exata. Há muita gente me cobrando para saber porque exatamente eu saí do governo e porque eu estaria agora criticando mais os Ferreira Gomes do que elogiando, enquanto antes eu os elogiava bem mais do que criticava. Seria pirraça, picuinha?

Querem também saber se minha saída não foi por uma razão pitoresca oculta (todos adoram imaginar um caso de novela). Correm pelas redes, inclusive, suposições de que eu seria um namorado do prefeito e teria brigado com ele. Nenhum demérito aos que não são e todo respeito a eles, mas eu sou hetero. Minha vinda foi, da minha parte pelo menos, exclusivamente profissional, com o objetivo de ajudar Sobral/CE e de criar políticas que pudessem depois ser exportadas para outros lugares.

Faço esse post não com o objetivo de atacar o governo, mas como explicação a familiares, amigos e demais pessoas que me seguem nesta rede social. Essa situação de boatos e ataques diários de pessoas aliadas ou fãs do prefeito está atrapalhando muito a minha vida. Afinal, não sou político e não estou acostumado com isso.

Algumas das razões de eu ter deixado o cargo são as seguintes:
a) ao vir para Sobral, devido à perspectiva bem mais positiva do que negativa que eu tinha dos Ferreira Gomes, imaginei que encontraria uma prefeitura mais arrumada, até pelas notícias de sucesso que escutamos, e são verdadeiras, sobre bons resultados na educação e na saúde. Como o grupo político deles governa desde 1997 (há 20 anos), pensei que encontraria um terreno organizado e fértil para inovações, desenvolvimento e progresso. Ocorre, no entanto, que essa é uma realidade parcial.

b) a Secretaria do Trabalho e do Desenvolvimento Econômico, da qual estive à frente, estava estruturada com duas coordenadorias (de desenvolvimento econômico e de tecnologia e inovação). Ambas eram coordenadas por pedagogas sem qualquer expertise nas áreas, mas que eram, respectivamente, parente de um político e parente de um presidente de associação de empregados com grande influência na cidade. Em outras palavras, as duas únicas coordenadoras da secretaria eram pessoas que tinham "costas quentes", sem qualquer condição técnica de ocuparem aqueles cargos.

c) ao mudar a estrutura completa da secretaria, que era extremamente ruim, tentei mudar essas duas pessoas, mas fui impedido pelo prefeito e seu chefe de gabinete. Mesmo apesar de conseguir colocá-las em uma posição inferior, de gerência, não faria sentido continuar com pessoas que não estavam preparadas para o cargo. Com elas, eu não conseguiria atingir os objetivos que havia traçado para mim mesmo. Que sentido faria, então, eu continuar trabalhando já sabendo que não iria atingir os objetivos? Muitos se acomodariam no cargo pelo salário e pelo poder. Isso nunca foi prioridade para mim.

d) Quanto ao salário, o prefeito, quando me ligou para fazer o convite, ofereceu R$ 15.000,00, dizendo que havia aumentado a remuneração dos secretários para esse valor, o que facilitaria levar pessoas mais capacitadas, pessoas de fora de Sobral/CE etc. Vim para a cidade acreditando piamente que essa era a nova remuneração dos secretários e contei isso à família, como é natural. No início de fevereiro, qual não foi minha surpresa ao receber apenas R$ 10.000,00 (2/3 do que havia sido prometido/combinado)? Ao apurar melhor, descobri que a remuneração dos secretários, segundo estabelecido pela Câmara, havia sido R$ 10.000,00 e a do prefeito era, salvo engano, R$ 14.500,00, de modo que, se eu recebesse R$ 15.000,00, estaria estourando o teto constitucional e legal.
Em conversas anteriores com o prefeito, havia deixado muito claro que não queria receber nada acima do teto, nem pelo que ele chamava de "penduricalhos", pois, se o Legislativo estabelece uma remuneração do secretário, é aquela que ele deve receber. Há, inclusive, um projeto de lei que busca tornar improbidade administrativa esse tipo de comportamento de gestores públicos.

e) A pior parte ainda está por vir, e vou contar de forma bem resumida, para que o post não fique ainda mais extenso. Há muito mais. A Secretaria do Trabalho e do Desenvolvimento Econômico administra o Centro de Convenções e o Mercado Público de Sobral/CE. Ambos eram administrados com recebimento de dinheiro em espécie e sem nada passar pelos registros contábeis e de finanças públicas. Tudo corria informalmente, o que é um extremo absurdo. Como se não bastasse isso, havia graves indícios de corrupção em ambas as administrações, pois nunca sobrava dinheiro para investimentos, o que será investigado pelo Ministério Público. O dinheiro entrava, alguns gastos ordinários e extraordinários eram feitos, e o resultado era sempre próximo de zero.
O Centro de Convenções e o Mercado Público estavam, e ainda estão, em situação caótica, sem ter passado por reforma desde que foram criados, mais de 10 anos atrás. Segundo informações da Viligância Sanitária, se houvesse uma fiscalização séria no mercado, ele fecharia no mesmo instante, pois não há condicionamento devido de alimentos, a câmara térmica não respeita as regras de vigilância etc.

A pessoa que cuidava da administração do Centro de Convenções é irmã da secretária do prefeito e, em vez de ser demitida da prefeitura, ganhou uma promoção indo trabalhar com ele no gabinete.

Ao propor ao prefeito que essas informações fossem levadas ao Ministério Público, houve nossa primeira grande briga. Para ele, isso seria uma "caça às bruxas". O governo novo não tinha que expor os problemas do anterior, que era de amigos, nem, portanto, tinha que tentar recuperar o dinheiro eventualmente perdido (se fosse o caso) para pessoas que praticaram eventuais ilegalidades.
Pedi renúncia e enviei um e-mail para o Secretário de Gestão, Controladoria e Ouvidoria, que hoje é, por ironia ou não, Secretário Interino da mesma pasta que ocupei. Em reunião com ele, disse-me que não havia interesse em prejudicar as pessoas, até porque o governo anterior era parceiro do governo atual, que as pessoas não mereciam isso etc., exatamente o mesmo discurso que havia sido proferido pelo prefeito.

Eu mencionei que um dos êxitos da mesma Secretaria que ele ocupava, mas no Município de São Paulo, com o Prefeito Fernando Haddad, tinha sido recuperar muitos milhões de reais decorrentes de corrupção e que era um absurdo se omitir. Se o governo anterior fosse oposicionista, provavelmente a posição deles seria diferente. Ele desconversou.

Haveria muito mais coisas erradas para contar, como a doação sem critérios de terrenos, envolvendo muitos amigos do grupo político no poder, e outras. Estou postando isso aqui, pois muitos não escutaram a entrevista que dei à Rádio Tupinambá de Sobral/CE, dentro da qual contei esses fatos, talvez com um pouco menos de detalhes, que cabem muito mais ao Ministério Público saber e analisar.

Muitos aliados do prefeito têm me julgado, dizendo que eu seria um traidor, sem caráter etc. Há perspectivas pra todo gosto nesse mundo. Se ser fiel e honesto é eu ver as coisas que cito aqui acontecendo e ficar calado, prefiro ser infiel e desonesto. O Brasil não vai melhorar enquanto as pessoas continuarem se omitindo, enquanto continuarem achando que se calar é o correto, que a falta de respeito à coisa pública é aceitável. Só haverá mudança quando nós mesmos mudarmos e tratarmos com seriedade e rigidez moral todas as relações em nossa vida, sobretudo, mas não somente, aquelas dentro do Estado.
Creio que, frente a esses fatos, que posso tranquilamente provar por meio de e-mails, mensagens trocadas em redes sociais etc., qualquer um passaria a ter dúvidas sobre a alta competência e moralidade dos Ferreira Gomes, que, como venho dizendo, me parecem ainda melhores do que boa parte da classe política brasileira, porém deixaram de ser o meu modelo brasileiro mais próximo do ideal, que era a minha visão anterior.

Se eles lideram o grupo político que governa a cidade há 20 anos, não estaria também na conta deles tanta corrupção, tanto assistencialismo, tanto paternalismo, tantas coisas ruins da velha política brasileira vistas em Sobral/CE que o próprio Ciro Gomes vai à TV criticar como se fosse uma exclusividade dos outros partidos, inclusive do PT, que sempre foi parceiro direto deles na cidade e estava à frente do governo anterior? 

Não voltarei a tratar desse assunto em redes sociais. Está sepultado. Todos que vierem me atacar serão imediatamente bloqueados sem qualquer resposta".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.