quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Gato também chora?






Morreu na madrugada desta quinta-feira (5), na Santa Casa de Sobral, Humberto Ricardo Pimentel (Marlove), para alguns um “louco”, um ser diferente, simplesmente porque  dedicava sua vida, seu tempo e seu salário ao amparo de gatos, centenas deles, assistidos em praças, avenidas e outros logradouros da Cidade.

Quem conheceu o trabalho felino desse ser indecifrável no amparo e na defesa de gatos de rua, não precisará ir ao Céu para aprender com os anjos o verdadeiro sentido da caridade. Marlove, como era conhecido  o agente social, desprendia-se tudo o que ganhava ou tinha, para dar conta de alimentar centenas de pobres animais abandonados, os quais ele conhecida cada um pelo nome.

Há pouco fora flagrado rifando sua bicicleta para garantir um pouco mais de alimentos para os bichinhos de estimação. Quem escutava suas lamurias quanto ao descaso da sociedade pela vida dos pobres animais, tinha dificuldade de compreender como alguém é capaz de assumir missão tão desafiadora como a do falecido Marlove.

A Bíblia não fala se existe Céu para animais, apesar de todos serem reconhecidos como filhos de Deus, porém é sabido que Deus reserva espaços dignos para os que fazem da caridade uma missão de vida.

Vimos a notícia de sua morte em diversas mídias, contudo, não havíamos identificado seu verdadeiro nome, que é Humberto Ricardo Pimentel (Marlove), um tipo esquálido, de pouca higienização, porém dono de um coração esplêndido,.

E agora Marlove, o que a cidade fará com tantos animais órfãos? Haverá alguém com a sua capacidade humana, com seu preparo espiritual, com seu gesto nobre, com sua missão tão bem cumprida? Acredito que não? Sabemos que existem associações e outros organismos ditos de proteção aos animais, contudo, nenhum deles tem tranças desalinhadas e vestes impróprias como as suas, e extremo amor como o seu.

Vai em paz, Marlove, pois certamente há gatos no Céu, para você cuidar.

Silveira Rocha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.