quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Evidências - Silveira Rocha


População sobralense rejeita VLT



Nesta manhã de 4 de janeiro de 2017, mais uma vez flagrei o VLT que faz a linha Sumaré/Sinhá Saboia, praticamente vazio, não fossem os três passageiros bem contados. Depois da instituição da cobrança o povo passou a rejeitar o transporte e buscar alternativa no mototaxi, que neste caso sai pelo mesmo preço e o passageiro vai aonde quer, diferente do VLT que o deixa na beira do caminho e distante de casa. O “sonho” de Alice não vingou em Sobral, simplesmente porque trouxe o futuro antes do presente. Sobral nunca teve um sistema regular de transporte urbano, assim sendo, como iria encarar com naturalidade a funcionalidade que os autores da obra denominaram de metrô?
Vendo por um  lado o custo da obra, relembrando o seu incômodo com as desapropriações, o extermínio de árvores, o fim da vida normal de muitos moradores, e por outro lado um empreendimento que ná passou até hoje de quebra-galho, quem é sobralense merece um atestado de burrice por haver aceitado que o ex-governador Cid Gomes fizesse de Sobral um laboratório para seus projetos megalomaniácos. E como se não bastasse, ele Cid mentiui o tempo todo prometendo linhas adjacentes de ônibus, a mentira foi continuada pelo Veveu, mas nunca os oônibus foram comprados. Tudo mentira e dinheiro escorrido no ralo.
O povo sobralense precisa acorda desse “sonho” de Alice e ficar alerta para que o irmão de Cid Gomes não se torne, também, um visionário futurista e queira fazer aqui um outro acquário, comprar um tatuzão ou construir uma filial da Nasa, pois afinal somos parecidos em tudo com os Satates Of The American.
Só na China
A produção mais imprópria de Cid Gomes é o acquário Ceará, uma obra digna dos faraós, encalhada na beira mar como se fosse baleia, sem que o atual governador se mostre disposto a terminar, até porque o Estado não tem dinheiro para tal. Como no Ceará não há quem queira assumir o monstrengo, o governador está orefecendo o projeto para os chineses, e ai cabe bem o chavão antigo “só na China”. O dinheiro empregado na obra indecente, se fosse administrado por um governo sem vaidades e com o pensamento voltado para o social, teria sido utilizado na construção de reservatórios, já que povo come é piaba e não tubarão.
Reforma descabida
Camilo Santa aparente um mendigo andando de Ferrari. Diante dos microfones e das câmaras ele chora miséria e diz que o Estado está quebrado, mas por outro lado compra helicópteros e agora está autorizando a reforma do gabinete da vice-governadora, um projeto de mais de R$ 2 milhões, sabe-se lá para que? Será que o Camilo vai fazer um apartamento para o Veveu descansar de sua longa jornada de “trabalho” em Sobral? Como cabe um gasto num ambiente em que nada se produz? Se a vice-governadora trabalhasse na produção, com certeza não ganharia o que comer.
Começo do fim
A Prefeitura está convocando ocupantes de cargos comissionados e servidores para um novo recadastramento, tendo em vista o ajustamento do quadro, que poderá ser ou não reduzido, mas que no mínimo expurgará aqueles que não trabalham, porém bebem Barca Velha nos bares do mundo.
Reforma na Comunicação Pastoral
A Diocese de Sobral, no que tange ao seu complexo informativo, deverá fazer mudanças (para melhor) na Rádio Educadora e no Jornal Correio da Semana, este que por sinal já se prepara para comemorar 100 anos de existência. O primeiro exemplar do CS circulou no dia 31 de março de 1918.
Fidelidade a toda prova
Registra-se um novo fato de ineditismo na Câmara de Vereadores de Sobral, que não fora uma nova fuga dos vereadores pela janela, dependurados em uma corda, mas a união da oposição, da verdadeira oposição, que não se convenceu com o canto da sereia do Executivo e resolveu permanecer no grupo liderado pelo deputado federal Moses Rodrigues(PMDB).  A atitude dos vereadores, alguns deles no primeiro mandato, é por demais louvável, uma vez que irá desfazer a própria tachação do atual prefeito, em época anterior, quando disse que a Câmara sobralense havia chegado ao “fudo do poço”.
Teremos segurança? 
Muito embora seja natural e de direito esperar que um gestor arrrume a casa e só depois comece a trabalhar, o novo prefeito de Sobral não pode esperar muito para buscar e apontar soluções para o caos da insegurança. Tudo bem que ele está chegando agora, no entanto, durante toda a campanha, ele  disse ter soluções, que era expert nessa área, e que iria encontrar meios para fazer Sobral voltar a ser uma cidade ordeira. Espera-se que ele não espere pelo Ceará Pacífico, que é nulo em todos os aspectos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.