sábado, 31 de dezembro de 2016






O meu desejo

Em meio às incontáveis mensagens de desejo de um novo ano, insiro a minha com o desejo de que Nostradamus continue errando em suas previsões; que o Tsunami gigante, se acontecer, não passe de uma marolinha; que os meteoros gigantes não nos alcancem; que os lídres do mundo pensem no sexo que reproduz e não nas guerras que dizimam; desejo ainda que as pessoas se definam quanto ao gênero, que paremos de reclamar do sol, da chuva, do patrão, do vizinho, do barulho das crianças e dos mutantes; o meu desejo se fundamenta na certeza de que o mundo só será verdadeiramente belo e que a vida só terá real sentido quando nós assumirmos o nosso modelo, quando nos conformarmos com as nossas coisas, quando aprendermos a conviver bem com as pessoas que nos cercam, amar aos que nos amam, perdoar aos que nos detestam... Enfim, o mundo corre, o tempo corre atrás e  de nós fica somente a história, que temos a obrigação de escrevê-la da melhor forma possível.

Mais importante que os anos que vão é o aprendizado que fica na mente e os bons sentimentos que se apoderam do nosso coração.



FELIZ 2017

SILVEIRA ROCHA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.