sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Comversando com mãe Dilma



Olá mãe Dilma! Poxa, eu achei que não a encontraria antes da passagem do ano. É que imaginava que a senhora ainda iria para a Bahia, mas não, é o Temer quem vai estar lá. Falando nele, eu soube que o peru que ele preparou para os brasileiros veio salgado demais e promete causar muita diarreia em velho e nó nas tripas dos trabalhadores.

Mãe a senhora foi convidada para o Réveillon de Fortaleza? Ave! Eu não acredito. Agora a senhora vê como esse povo é falso? Pois num é, quando era para pedir dinheiro andava acima e abaixo com a senhora. Era abraço aqui, beijinho acolá, presentinhos, selfies...  Eita povo horrível. Mãe, a moda dele agora é beber vinho caro, comer caviar e vomitar no povo. kkkkkkk. Desculpe, mas eu não consigo ficar sem me abrir.

Falando em se abrir, a senhora é mesmo uma mulher de sorte. Claro, a senhora se aposentou antes do Temer eternizar a contribuição previdenciária. É verdade mãe, agora é assim: nasce, cresce, trabalha, adoece, morre e se aposenta.  A senhora escapou por pouco, senão teria que fazer como o padrinho, que perdeu um dedo para se aposentar. Hoje a gente perde a metade do corpo e o máximo que ganha é uma aposentadoria de metade.

Não fique triste por que vai entrar o ano novo sozinha. A vida é assim mesmo. Com poder a gente é açúcar; sem ele a gente é enxofre. Se eu pudesse a traria para cá. Ora bolas, não tem champanhe francês, não tem caviar, mas tem Ypióca com sardinha, que é quase a mesma coisa.

Eu desejo que a senhora não seja cassada e se for não seja achada; se for achada , que não seja presa. Dê um abraço na Vovó Dilma Jane, no cachorrinho totó, no padrinho Lula, na madrinha Marisa e nos meninos espertos deles. Feliz ano novo mãe Dilma.










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.