quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Saudade das bolas e dos campos



Tudo bem que a modernidade é cheia de benefícios, de artifícios, encantos e seduções. Todavia, nunca irá nos fazer esquecidos, de todo, das naturalidades que a vida contém, sendo uma delas os jogos nos campinhos de várzea, a gente correndo atrás da bola, suando, fedendo, caindo, engolindo areia, comendo grama, vivendo a doçura dos anos novos.

Ninguém se preocupava ou necessitava de academias, pois a juventude diariamente estava envolvida nos jogos, fazendo suas movimentações, deixando de lado o sedentarismo, fugindo dos entorpecentes, dos inconsequentes, desconhecidos das tecnologias e voltados às amizades.

Hoje, tristes, vê-se que a juventude troca a bola pela bala, os campos de várzea pelos campos santos, interrompendo o ciclo da vida, sem sentir o gosto de framboesa, ou de sentir alegria para correr entre os canteiros comemorando o encanto da juventude e prazer da existência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.