terça-feira, 23 de junho de 2015

V Festival de Jericoacoara Cinema Digital dá premia cineastas cearenses



O V Festival de Jericoacoara Cinema Digital premiou neste domingo (21) curtas-metragens de cineastas de sete estados brasileiros. O cearense Josafá Ferreira Duarte recebeu o troféu de melhor filme pelo júri popular, já o melhor filme do Ceará, Piauí e Maranhão também ficou com outro cearense, Paulo Rocha foi o premiado. George Alex Barbosa recebeu menção honrosa.
“O Pau da Bandeira”, do baiano Felipe Wenceslau, e “Preto no branco”, de Alizon Zago, de São Paulo, foram os grandes consagrados do festival, cada um conquistou quatro troféus “Pedra Furada”. Em seu pronunciamento o diretor do festival, o cineasta Francis Vale, agradeceu a todos que contribuíram com a realização do V Festival de Jericoacoara Cinema Digital.
O evento, que teve entrada franca, aconteceu ao longo de uma semana e recebeu moradores e visitantes de Jericoacoara. As exibições uniram nativos, cearenses de outras cidades, visitantes de diversos estados nacionais e diferentes países no festival que aconteceu na Sala Multimídia do Polo de Atendimento à Infância e Adolescência de ‘Jeri’, local também da premiação final.
Os ganhadores das diferentes modalidades levaram consigo o troféu “Pedra Furada”, este feito pelo renomado artista plástico cearense Zé Tarcísio, que faz uma referência ao principal cartão postal da cidade.
No domingo uma homenagem foi prestada ao cineasta baiano Tuna Espinheira, falecido em janeiro deste ano e que participou do festival por três vezes, como convidado. Do diretor, foi exibido o filme “O Imaginário de Juraci Dórea no Sertão Veredas”.
Premiações
O júri que foi presidido pelo cineasta e cineclubista paraibano, Hermano Figueiredo, premiou produções provenientes de sete estados. Para os cearenses saiu alguns troféus também. “Cadê meu zóculos”, filme de ficção, do realizador cearense Josafá Ferreira Duarte, levou o prêmio de melhor filme na escolha do júri popular. Já o troféu de melhor filme dos estados do Ceará, Piauí e Maranhão (Prêmio Cepima) ficou com “Curitiba, mon amour”, documentário, de Pedro Rocha (CE).
“As Aventuras de Chaga das Onças”, animação, do realizador cearense George Alex Barbosa, e “Gutierres”, documentário, de Fernando Bassani, do Rio Grande do Sul, foram destacados pelo júri com menções honrosas.
Curtas e debates
Além da Mostra Competitiva de Curtas-metragens, o festival exibiu em Jericoacoara longas importantes para a história do cinema brasileiro, como “São Paulo Sociedade Anônima”, de Luiz Sérgio Person, filmes homenageados por completarem 50 anos em 2015.
“O festival também promoveu uma exibição especial do filme ‘Aos ventos que virão’, do cineasta cearense Hermano Penna, radicado em São Paulo, contando com a presença dele. Foi uma oportunidade excelente para que um grande nome do nosso cinema brasileiro pudesse trocar ideias e experiências com jovens realizadores e com o público do festival”, destacou o diretor do evento, o cineasta, escritor e produtor cultural cearense Francis Vale, apontando que o evento chegou com muito sucesso à marca da quinta edição.
Veja o resultado final do V Festival de Jericoacoara – Cinema Digital
Melhor ficção: “Preto no branco”, de Alison Zago (SP)
Melhor documentário: “O Pau da Bandeira”, de Felipe Wenceslau (BA)
Melhor filme de animação: “Guida”, de Rosana Urbes (SP)
Melhor filme experimental: “Cântico dos Ventos”, de Laurita Caldas (PB)
Melhor direção de arte: “Preto no branco”, de Alison Zago (SP)
Melhor montagem: “Preto no branco”, de Alison Zago (SP)
Melhor ator: Sérgio Mastropasqua, do filme “Preto no branco”, de Alison Zago (SP)
Melhor diretor: “O Pau da Bandeira”, de Felipe Wenceslau (BA)
Melhor fotografia: “O Pau da Bandeira”, de Felipe Wenceslau (BA)
Melhor desenho de som: “O Pau da Bandeira”, de Felipe Wenceslau (BA)
Melhor roteiro: “O Passageiro”, ficção, de Eduardo Cantarino (RJ)
Melhor atriz: Zezita Matos, do filme “Olhos de Botão”, ficção, de Marlom Meirelles (PE)
Melhor filme, pelo júri popular: “Cadê meu zóculos”, ficção, de Josafá Ferreira Duarte (CE)
Melhor filme dos estados do Ceará, Piauí e Maranhão (Prêmio Cepima): “Curitiba, mon amour”, documentário, de Pedro Rocha (CE)
Menções honrosas: “As Aventuras de Chaga das Onças”, animação, de George Alex Barbosa (CE), e “Gutierres”, documentário, de Fernando Bassani (RS)
Mateus Ferreira
Especial para o Sobral News (com informações da assessoria)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.