terça-feira, 16 de junho de 2015

O bairrismo sobralense adormeceu




Na iminência de completar 242 anos de sua elevação a condição de vila, fato ocorrido no dia 5 de julho de 1773, Sobral encara a síndrome da estagnação do seu tradicional bairrismo. Uma falta de entusiasmo toma conta da população, revelando uma estado de inanição das entidades, a exemplo dos clubes de serviços, antes interessadas e envolvidas nesse tipo de comemoração.

Quem assistiu as comemorações do Sesquicentenário de Sobral, em 1973, quando o prefeito era Jose Parente Prado, considerado pelos atuais políticos de nossa cidade como "força do atraso", reconhece que caminhamos para trás nesse aspecto, já que não se viu de lá para cá mais nenhum fato de relevância denotando o amor dos sobralenses por sua terra.

Foi Jose Parente Prado quem patrocinou um CD de musicas da professora Regina Feijão e padre Jairo Linhares, enaltecendo a cidade, alem de uma festa inesquecível, com duração de um mês, e na qual todos os segmentos locais estiveram envolvidos.

Percebe-se que  Cidade mesmo com todas as suas nuanças de crescimento não convence e não atrai ao publico de bairristas, que pelo visto mudou de torcida ou calou de vergonha.












Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.