quinta-feira, 11 de junho de 2015

Duas palavras com Oscar Rodrigues





O blogueiro Armando Costa conversou com exclusividade, nesta quarta-feira, 10, com o novo presidente do PMDB de Sobral. Oscar Rodrigues, diretor geral do Grupo GORJ, um complexo de empreendimentos nas áreas de Educação, Saúde, Construção Civil, Segurança e Cultura.

Duas perguntas sintetizaram a conversa entre o empresario e o blogueiro, todavia, suficientemente capazes de deixar claro o posicionamento de Oscar Rodrigues diante do atual contexto politico sobralense.

O senhor assumiu o PMDB de Sobral. Qual será sua primeira ação?

Já fui do PMDB e com muito orgulho estou voltando para somar e não para dividir. Não se trata de uma primeira ação. O PMDB de Sobral conta hoje com cerca de 300 filiados, pessoas que estão no partido desde a década de 80. Imagine só! Meu maior desafio é entrar em contato com essas pessoas e conversar, dialogar. Somente a partir daí poderemos projetar a construção desse novo grupo político. É importante também lembrar que queremos um partido orgânico, com suas alas funcionando e não um partido como o “bloco do eu sozinho”, com portas fechadas. Quando me perguntam quem manda no PMDB, eu fico impressionado com isso. Como as pessoas estão mal acostumadas a acharem que um partido tem um dono. Pela definição, partido é formado por um grupo de pessoas unidas pela mesma opinião, mesmos interesses e mesma ação política.

O PMDB terá candidato a prefeito em Sobral?

O PMDB de Sobral não tomará decisões isoladas. Ouviremos nossas bases políticas, o diretório estadual, o presidente estadual, o Senador Eunício Oliveira. Se houver um consenso iremos sim lançar um candidato que seja de propostas. Nesse processo de reconstrução do PMDB de Sobral, a cidade e a população serão protagonistas de uma nova história, com um novo cenário político, forte e maduro.  O PMDB é muito grande para ser somente um partido de oposição. Ele é um partido de proposição.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.