sábado, 26 de novembro de 2016

Conversando com mãe Dilma




Olá mãe Dilma. Mãe Dilma... Oi, por que não fala? O que houve? Está chorando por que? Ah sim, entendo. Realmente a senhora e o Fidel foram grandes amigos. É mãe, mas sempre atrás de uma tristeza desperta uma alegria, e eu sei que a senhora está com cara de menino que ganhou pirulito, com as notícias de que Temer também poderá sofrer impeachment.

Ora se não. Eu conheço a senhora. Sei que está doida para ver o Drácula despencar do palácio e papocar o ...rabo no chão do desprestígio. Acertei?

Mãe saiba que rogar praga aos outros é pecado? Claro que eu sei que a senhora não faz isso, pois é uma mulher decente. Eu estava aqui pensando que a senhora e Temer têm destinos parecidos. Sim, pois foram eleitos juntos e, da mesma forma como a senhora caiu ele também poderá cair. Sei lá mãe, é que tem bandido demais junto e misturado com político. Chegamos ao tempo em que rato já não vira morcego e sim ministro de estado. Estamos é lascados mãe.

Falando em lascado, a senhora viu essa estória do cara dos direitos humanos que recebia propina do PCC? E ai aquela abestada da Maria do Rosário e o idiota do Jean ficam falando de bem dessa carniça, que nunca defende pobre ou oprimido. Mãe, sinceramente, eu deixei de acreditar que foi o Cabral quem descobriu o Brasil. Com certeza, Cabral veio para cá não foi para descobrir nada e sim fazer curso de corrupção com os índios.

Eu também estou triste mãe. Se a senhora estivesse aqui a gente iria tomar um litro de vinho Padre Cícero com tripa de porto assada. Eu sei que a senhora adora. Falando em tripa, cadê o padrinho. Ave, o homem anda mais escondido que calcinha de freira.

Mãe vou desligar agora, senão como todos os seus créditos. Agora vou escutar Genival Santos, acender um charuto e chorar pelo Fidel.

Abraço mãe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.