quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Focus mostra alta na projeção para juros no fim de 2015 de 12,50% para 12,75%


O mercado espera um ajuste maior na taxa básica de juros (Selic). Segundo projeções do boletim Focus, divulgado nesta quarta-feira, 18, pelo Banco Central, a estimativa para a Selic ao fim do ano passou de 12,50% ao ano para 12,75%. Os analistas ouvidos para a pesquisa do BC estimam que a Selic chegue a esse nível na reunião de março do Comitê de Política Monetária (Copom). Em abril, a taxa seria elevada para 13% ao ano, quando o ciclo seria interrompido. Em outubro, a instituição voltaria a alterar os juros, mas dessa vez para baixo, para 12,75%, nível que seria mantido até o início do ano que vem.
Pelas projeções do Focus, em janeiro a taxa seria reduzida para 12,50% ao ano, em fevereiro, para 12,25%. Entre março e abril do próximo ano a taxa ficaria em 12%. Em maio, o BC levaria a Selic para 11,75% e, em agosto, para 11,50%.
Inflação
Com relação à inflação, a percepção está cada vez pior. Além de projeções de 7,27% para o IPCA, acima do teto da meta do governo, definida em 6,5%, o mercado tem feito previsões para os outros indicadores de custo de vida cada vez mais elevadas. A expectativa para os preços administrados, entre a semana anterior e esta, passou de 9,48% para 10%. Essa alta, em parte, é reflexo dos reajustes que se farão necessários na conta de luz. Essa correção deixará para trás a projeção do próprio BC para os administrados, que na ata última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) falou em uma alta de 9,3% para o ano.
Segundo o boletim divulgado pelo BC, a projeção do mercado para o IGP-DI também piorou, passou de 5,72% para 5,81%. O IGP-M, que reajusta a maioria dos contratos de aluguel, ficou estável em 5,81% para 2015. O IPC-Fipe, que mede o custo de vida para as famílias de São Paulo, registrou pequeno aumento entre a semana anterior e esta, subindo de 6,45% para 6,47%. Um mês antes essa projeção estava em 4,96%.
ESTADÃO conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário.